*~alguns poemas muito lindos~*

'Esse aqui em especial...uma amiga aqui do blog, me deixou em comentario!eu aodrei e resolvi postar!!!

CORRER RISCOS


Rir é correr risco de parecer tolo.
Chorar é correr o risco de parecer sentimental.
Estender a mão é correr o risco de se envolver.
Expor seus sentimentos é correr o risco de mostrar seu verdadeiro eu.
Defender seus sonhos e idéias diante da multidão é correr o risco de perder as pessoas.
Amar é correr o risco de não ser correspondido.
Viver é correr o risco de morrer.
Confiar é correr o risco de se decepcionar.
Tentar é correr o risco de fracassar.
Mas os riscos devem ser corridos, porque o maior perigo é não arriscar nada.
Há pessoas que não correm nenhum risco, não fazem nada, não têm nada e não são nada.
Elas podem até evitar sofrimentos e desilusões, mas elas não conseguem nada, não sentem nada, não mudam, não crescem, não amam, não vivem.
Acorrentadas por suas atitudes, elas viram escravas, privam-se de sua liberdade.

Somente a pessoa que corre riscos é livre!



ISOLADOS DO MUNDO...

Perdidos e amantes numa praia - a mais deserta -
Por testemunha o céu, gaivotas e a areia quente,
Nada para lembrar, eu e tu vivendo este presente...
Numa manhã quente, à luz do sol, a poesia certa.

Entre olhares, desejos, nos amamos perdidamente.
E a natureza vibrando nesse instante o momento.
Em que dois corpos, eu e tu, rendem-se ao vento.,
Dando-se por inteiro nas carícias, freneticamente.

Passamos horas assim, alheios a tudo em volta,
Pondo em prática devaneios que a imaginação solta,
Espraiado o mar, vem lamber em ondas nossos corpos nus,

Sonho bom que desfrutamos, e a um Oásis nos conduz...
Ao olimpo dos amantes, sem angústias, sem revolta,
Celebração de um paraíso pleno de paz, amor e luz...



Mundo inundado

 

Dos submundos mais profundos
Derivam todos os outros mundos
Os quais habitei sem freqüentar

E os quatro cantos eram sempre mais
Traziam amostras curtas e espaços ociosos
Na insanidade efervescente dos espíritos mais criativos

Dentre duas ou três loucuras, escolhi a minha
Completa e desfeita, harmoniosamente conflitante
Abria caixas sem jamais revelar um segredo

E os dentes já não sorviam a matéria
Grotesca e protuberante em dias nublados de quente e frio
Mas conheciam de cabo a rabo os castiçais malditos



 "Preciso de alguem"

 

Minha mente me diz que quer voltar a amar.
Diz que está cansada de enfrentar sozinha a solidão.
Fala-me que lá fora, há pessoas como eu que buscam,
alguém que compartilhe e aqueça lhe o coração.

Mas o que meu coração não entende,
é que ainda trago na alma marcas de um antigo amor.
E embora a minha razão me diga que tudo acabou faz tempo
é ele que ainda me rouba a alegria e me envolve com a dor.

Mas confesso que estou cansada de voar sem rumo,
pois preciso de um ninho onde eu posso me aconchegar.
Estou cansada de sobreviver sem ela ao meu lado,
estou cansada de tanto sofrer, de tanto chorar.

Acho que preciso realmente sair em busca de alegrias.
Preciso encontrar quem me queira e me dê valor.
Talvez assim eu possa voltar à vida e deixar de ser tão triste,
quem sabe assim eu volte a cantar e escrever sobre o amor.

Pois minha poesia hoje só fala de tristeza e amargura
pois elas retratam o vazio que alguém deixou em minha alma.
Mostram os soluços que trago reprimido na garganta,
muito embora com os lábios eu demonstre falsa calma.

Eu preciso aceitar que ela não me ama.
Por um fim nessa dor que assola o meu coração.
Preciso voltar à vida urgentemente.
Preciso de alguém que me estenda à mão.

Pois eu me sinto só e perdida neste meu céu,
onde as estrelas parecem brilhar apenas lá no infinito.
Minhas lágrimas correm soltas pelo meu rosto
mas soluçando minhas mágoas ao vento, o nome dela eu grito.

E enlouquecida de dor e de saudade,
entorpeço a minha mente buscando tudo isso esquecer.
Por isso eu necessito de alguém que me estenda à mão,
que tire de mim essa amargura e devolva-me a vontade de viver.



"Aonde quer que eu va"

Aonde quer que eu vá...

Espectro a me vigiar
Sombra a me seguir
Onde quer que eu vá

Não consigo sequer
Desvencilhar o meu
O seu mundo, fantasia.

Tudo em seu controle
O vazio, o fracasso.
De apenas ser

A luta cessou
Entreguei minhas armas
Incessantemente cansada

Amar não quero
Isso nunca foi pra mim
Não posso respirar

Esta é a última vez
Que escrevo a ti
Numa tentativa, talvez.

De tudo mudar
Mas as escolhas
Não me pertencem

Presencio a glória
Em outras mãos
O encantamento é todo dela

A mim, nada sobrou.
Nada além dessa penumbra
A colorir minha vida

Você se foi
E eu fiquei não por opção.
Não por verdadeiramente querer

Por não ter forças
Por me fazer acreditar
Que não sou merecedora

De nada



Abismo

Vai doer, mas vou arrancar o que me faz sofrer,
Nem que tenha que cravar as unhas,
Esfolar até sangrar, mas vai sair,
Vai passar...
Talvez um dia, com calma, esqueça.
E entenda porque me fez sonhar tão alto com esse amor,
E depois despencar nesse abismo de...nada.


Então gente, por hoje é só! Mas amanhã voltamos concerteza !!

Se vcs quiserem me add no orkut, fiquem a vontade...

leticia100%pink@hotmail.com

ou entãm pelo link:

http://www.orkut.com/Profile.aspx?uid=14139473074538716076

~*Beeijos,  srta Molanguitahh..*~

 


 

sábado 23 fevereiro 2008 18:24



1 Fan

Nenhum comentário *~alguns poemas muito lindos~*



Seu comentário :

(Opcional)

(Opcional)

error

Importante: comentários racistas, insultas, etc. são proibidos nesse site.Caso um usuário preste queixa, usaremos o seu endereço IP (107.20.37.62) para se identificar     



Fechar a barra

Precisa estar conectado para enviar uma mensagem para mundodaspatricinhas

Precisa estar conectado para adicionar mundodaspatricinhas para os seus amigos

 
Criar um blog